sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Arte Cristã

Organizado a partir de: POZENATO, Kenia. Introdução à História da Arte. Porto Alegre: Mercado Aberto, 2001. PROENÇA, Graça. História da Arte. São Paulo: Ática, 2000.

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Grécia e Roma

Organizado a partir de: POZENATO, Kenia. Introdução à História da Arte. Porto Alegre: Mercado Aberto, 2001. PROENÇA, Graça. História da Arte. São Paulo: Ática, 2000.

domingo, 26 de agosto de 2012

Mesopotâmia e Egito

Organizado a partir de: POZENATO, Kenia. Introdução à História da Arte. Porto Alegre: Mercado Aberto, 2001. PROENÇA, Graça. História da Arte. São Paulo: Ática, 2000.

sábado, 25 de agosto de 2012

Pré-História

Organizado a partir de: PROENÇA, Graça. História da Arte. São Paulo: Ática, 2000.
Organizado a partir de: AZEVEDO Jr., José Garcia de. Apostila de Arte: Artes Visuais. São Luís: Imagética Comunicação e Design, 2007.

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Olá, pessoal do blog! As questões de vestibular/ENEM sugeridas por mim terminaram. Desejo uma boa prova à todos, especialmente aos estudantes do Colégio Estadual Coronel Pilar!, e lembrem-se: vocês estão conquistando o espaço que lhes pertence. Não pensem em concorrência ou número de vagas, isso não leva a nada. A prova é fácil, o segredo é ficar calmo.
A partir de agora vou começar postar o resumo dos períodos da História da Arte, de maneira bem resumida, só para uma revisão mesmo.
Abraços!

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Matemática

Muitas questões de matemática podem ser respondidas apenas pela visualidade, sem a necessidade da realização de contas. Tente responder as questões abaixo pela visualização das imagens. Lembre-se que os gráficos e imagens que aparecem nas provas da UFSM, geralmente, são proporcionais e com escalas confiáveis.


1.(ENEM/2009)
As figuras a seguir exibem um trecho de um quebra-cabeças que está sendo montado. Observe que as peças são quadradas e há 8 peças no tabuleiro da figura A e 8 peças no tabuleiro da figura B. As peças são retiradas do tabuleiro da figura B e colocadas no tabuleiro da figura A na posição correta, isto é, de modo a completar os desenhos.

Figura A

Figura B


É possível preencher corretamente o espaço indicado pela seta no tabuleiro da figura A colocando a peça
A) 1 após girá-la 90° no sentido horário.
B) 1 após girá-la 180° no sentido anti-horário.
C) 2 após girá-la 90° no sentido anti-horário.
D) 2 após girá-la 180° no sentido horário.
E) 2 após girá-la 270° no sentido anti-horário.



2. (ENEM/2009) Em Florença, Itália, na Igreja de Santa Croce, é possível encontrar um portão em que aparecem os anéis de Borromeo. Alguns historiadores acreditavam que os círculos representavam as três artes: escultura, pintura e arquitetura, pois elas eram tão próximas quanto inseparáveis.

Qual dos esboços a seguir melhor representa os anéis de Borromeo?



3 (ENEM/2008) Fractal (do latim fractus, fração, quebrado) — objeto que pode ser dividido em partes que possuem semelhança com o objeto inicial. A geometria fractal, criada no século XX, estuda as propriedades e o comportamento dos fractais — objetos geométricos formados por repetições de padrões similares. 
O triângulo de Sierpinski, uma das formas elementares da geometria fractal, pode ser obtido por meio dos seguintes passos:
1. comece com um triângulo equilátero (figura 1);
2. construa um triângulo em que cada lado tenha a metade do tamanho do lado do triângulo anterior e faça três cópias;
3. posicione essas cópias de maneira que cada triângulo tenha um vértice comum com um dos vértices de cada um dos outros dois triângulos, conforme ilustra a figura 2;
4. repita sucessivamente os passos 2 e 3 para cada cópia dos triângulos obtidos no passo 3 (figura 3).
De acordo com o procedimento descrito, a figura 4 da seqüência apresentada acima é








Gabarito: 1C - 2E - 3C

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Folclore/Cultura


1.(ENEM/2009) Os melhores críticos da cultura brasileira trataram-na sempre no plural, isto é, enfatizando a coexistência no Brasil de diversas culturas. Arthur Ramos distingue as culturas não europeias (indígenas, negras) das européias (portuguesa, italiana, alemã etc.), e Darcy Ribeiro fala de diversos Brasis: crioulo, caboclo, sertanejo, caipira e de Brasis sulinos, a cada um deles correspondendo uma cultura específica.
MORAIS, F. O Brasil na visão do artista: o país e sua cultura. São Paulo: Sudameris, 2003.

Considerando a hipótese de Darcy Ribeiro de que há vários Brasis, a opção em que a obra mostrada representa a arte brasileira de origem negro-africana é:




2.(ENEM/2010) O folclore é o retrato da cultura de um povo. A dança popular e folclórica é uma forma de representar a cultura regional, pois retrata seus valores, crenças, trabalho  e significados. Dançar a cultura de outras regiões é conhecê-la, é de alguma forma se apropriar dela, é enriquecer a própria cultura.

BREGOLATO, R. A. Cultura Corporal da Dança. São Paulo: Ícone, 2007.

As manifestações folclóricas perpetuam uma tradição cultural, é obra de um povo que a cria, recria e a perpetua. Sob essa abordagem deixa-se de identificar como dança folclórica brasileira

a) o Bumba-meu-boi, que é uma dança teatral onde personagens contam uma história envolvendo crítica social, morte e ressurreição.
b) a Quadrilha das festas juninas, que associam festejos religiosos a celebrações de origens pagãs envolvendo as colheitas e a fogueira.
c) o Congado, que é uma representação de um reinado africano onde se homenageia santos através de música, cantos e dança.
d) o Balé, em que se utilizam músicos, bailarinos e vários outros profissionais para contar uma história em forma de espetáculo.
e) o Carnaval, em que o samba derivado do batuque africano é utilizado com o objetivo de contar ou recriar uma história nos desfiles.




3.(ENEM/2009) O artesanato traz as marcas de cada cultura e, desse modo, atesta a ligação do homem com o meio social em que vive. Os artefatos são produzidos manualmente e costumam revelar uma integração entre homem e meio ambiente, identificável no tipo de matéria-prima utilizada.
Pela matéria-prima (o barro) utilizada e pelos tipos humanos representados, em qual região do Brasil o artefato acima foi produzido?



a) Sul.
b) Norte.
c) Sudeste.
d) Nordeste.
e) Centro-Oeste.





4.(ENEM/2007) Não só de aspectos físicos se constitui a cultura de um povo. Há muito mais, contido nas tradições, no folclore, nos saberes, nas línguas, nas festas e em diversos outros aspectos e manifestações transmitidos oral ou gestualmente, recriados coletivamente e modificados ao longo do tempo. A essa porção intangível da herança cultural dos povos dá-se o nome de patrimônio cultural imaterial.
Internet: <www.unesco.org.br>.

Qual das figuras abaixo retrata patrimônio imaterial da cultura de um povo?





5.(ENEM/2008) - A linguagem utilizada pelos chineses há milhares de anos é repleta de símbolos, os ideogramas, que revelam parte da história desse povo. Os ideogramas primitivos são quase um desenho dos objetos representados. Naturalmente, esses desenhos alteraram-se com o tempo, como ilustra a seguinte evolução do ideograma  , que significa cavalo e em que estão representados cabeça, cascos e cauda do animal.
Considerando o processo mencionado acima, escolha a seqüência que poderia representar a evolução do ideograma chinês para a palavra luta.




6 (ENEM/2008) Os signos visuais, como meios de comunicação, são classificados em categorias de acordo com seus significados. A categoria denominada indício corresponde aos signos visuais que têm origem em formas ou situações naturais ou casuais, as quais, devido à ocorrência em circunstâncias idênticas, muitas vezes repetidas, indicam algo e adquirem significado. Por exemplo, nuvens negras indicam tempestade. Com base nesse conceito, escolha a opção que representa um signo da categoria dos indícios.









Gabarito: 1A - 2D - 3D - 4C - 5B - 6B

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Arte contemporânea


1.(ENEM/2011)
LEIRNER, N. Tronco com cadeira (detalhe) 1964.
Disponível em: http://www.itaucultural.org.br. Acesso em: 27 jul. 2010.

Nessa estranha dignidade e nesse abandono, o objeto foi exaltado de maneira ilimitada e ganhou um significado que se pode considerar mágico. Daí sua "vida inquietante e absurda”. Tornou-se ídolo e, ao mesmo tempo, objeto de zombaria. Sua realidade intrínseca foi anulada.
JAFFÉ, A. O simbolismo nas artes plásticas. In: JUNG, C.G. (org.).O homem e seus símbolos. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008.

A relação observada entre a imagem e o texto apresentados permite o entendimento da intenção de um artista contemporâneo. Neste caso, a obra apresenta características

a) funcionais e de sofisticação decorativa.
b) futuristas e do abstrato geométrico.
c) construtivistas e de estruturas modulares.
d) abstracionistas e de releitura do objeto.
e) figurativas e de representação do cotidiano.




2.(ENEM/2009)

TEXTO A
Oiticica, Hélio. Metaesquema I, 1958. Guache s/ cartão. 52 cm x 64 cm. Museu de Arte Contemporânea – MAC/USP. Disponível em: http://www.mac.usp.br . Acesso em: 01 maio 2009.


TEXTO B

Metaesquema I

Alguns artistas remobilizam as linguagens geométricas no sentido de permitir que o apreciador participe da obra de forma efetiva. Nesta obra, como o próprio nome define: meta – dimensão virtual de movimento, tempo e espaço; esquema – estruturas, os Metaesquemas são estruturas que parecem movimentar-se no espaço. Esse trabalho mostra o deslocamento de figuras geométricas simples dentro de um campo limitado: a superfície do papel. A isso podemos somar a observação da precisão na divisão e no espaçamento entre as figuras, mostrando que, além de transgressor e muito radical, Oiticica também era um artista extremamente rigoroso com a técnica.
Disponível em: http://www.mac.usp.br . Acesso em 02 maio 2009 (adaptado).

Alguns artistas remobilizam as linguagens geométricas no sentido de permitir que o apreciador participe da obra de forma mais efetiva. Levando-se em consideração o texto e a obra Metaesquema I, reproduzidos acima, verifica-se que

 (a)   a obra confirma a visão do texto quanto à idéia de estruturas que parecem se movimentar, no campo limitado do papel, procurando envolver de maneira mais efetiva o olhar do observador.
 (b)   a falta de exatidão no espaçamento entre as figuras (retângulos) mostra a falta de rigor da técnica empregada dando à obra um estilo apenas decorativo.
 (c)   Metaesquema I é uma obra criada pelo artista para alegrar o dia-a-dia, ou seja, de caráter utilitário.
 (d)   a obra representa a realidade visível, ou seja, espelha o mundo de forma concreta.
 (e)   a visão de representação das figuras geométricas e rígidas, propondo uma arte figurativa.




3.(ENEM/2009) Observe a obra “Objeto Cinético”, de Abraham Palatnik, 1966.
Disponível em: http:/www.cronopios.com.br. Acesso em: 29 abr. 2009.


A arte cinética desenvolveu-se a partir de um interesse do artista plástico pela criação de objetos que se moviam por meio de motores ou outros recursos mecânicos. A obra “Objeto Cinético”, do artista plástico brasileiro Abraham Palatnik, pioneiro da arte cinética,

(a)   é uma arte do espaço e da luz.
(b)   muda com o tempo, pois produz movimento.
(c)   capta e dissemina a luz em suas ondulações.
(d)   é assim denominada, pois explora efeitos retinianos.
(e)   explora o quanto a luz pode ser usada para criar movimento.




4.(ENEM/2009) Na busca constante pela sua evolução, o ser humano vem alternando a sua maneira de pensar, de sentir e de criar. Nas últimas décadas do século XVIII e no início do século XIX, os artistas criaram obras em que predominam o equilíbrio e a simetria de formas e cores, imprimindo um estilo caracterizado pela imagem da respeitabilidade, da sobriedade, do concreto e do civismo. Esses artistas misturaram o passado ao presente, retratando os personagens da nobreza e da burguesia, além de cenas míticas e histórias cheias de vigor.
RAZOUK, J. J. (Org.). Histórias reais e belas nas telas. Posigraf: 2003.
Atualmente, os artistas apropriam-se de desenhos, charges, grafismo e até ilustrações de livros para compor obras em que se misturam personagens de diferentes épocas, como na seguinte imagem:





5





Figura 1
Disponível em: <http://www.vemprabrotas.com.br/pcastro5/campanas/campanas.htm>. Acesso em: 24 abr. 2009.





Figura 2
Disponível em: <http://www.cultura.gov.br/site/wpcontent/uploads/2008/02/cadeira-real.jpg>. Acesso em: 30 abr. 2009.

Comparando as figuras, que apresentam mobiliários de épocas diferentes, ou seja, a figura 1 corresponde a um projeto elaborado por Fernando e Humberto Campana e a figura 2, a um mobiliário do reinado de D. João VI, pode-se afirmar que
(A) os materiais e as ferramentas usados na confecção do mobiliário de Fernando e Humberto Campana, assim como os materiais e as ferramentas utilizados na confecção do mobiliário do reinado de D. João VI, determinaram a estética das cadeiras.
(B) as formas predominantes no mobiliário de Fernando e Humberto Campana são complexas, enquanto que as formas do mobiliário do reinado de D. João VI são simples, geométricas e elásticas.
(C) o artesanato é o atual processo de criação de mobiliários empregado por Fernando e Humberto Campana, enquanto que o mobiliário do reinado de D. João VI foi industrial.
(D) ao longo do tempo, desde o reinado de D. João VI, o mobiliário foi se adaptando consoante as necessidades humanas, a capacidade técnica e a sensibilidade estética de uma sociedade.
(E) o mobiliário de Fernando e Humberto Campana, ao contrário daquele do reinado de D. João VI, considera primordialmente o conforto que a cadeira pode proporcionar, ou seja, a função em detrimento da forma.





Gabarito: 1D - 2 - 3B - 4C - 5D



segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Modernismo


1.(ENEM/2010)
AMARAL, Tarsila do. O mamoeiro. 1925, óleo sobre tela, 65x70, IEB//USP.

O modernismo brasileiro teve forte influência das vanguardas europeias. A partir da Semana de Arte Moderna, esses conceitos passaram a fazer parte da arte brasileira definitivamente. Tomando como referência o quadro O mamoeiro, identifica-se que, nas artes plásticas, a
A) imagem passa a valer mais que as formas vanguardistas.
B) forma estética ganha linhas retas e valoriza o cotidiano.
C) natureza passa a ser admirada como um espaço utópico.
D) imagem privilegia uma ação moderna e industrializada.
E) forma apresenta contornos e detalhes humanos.



2.(ENEM/2007) Sobre a exposição de Anita Malfatti, em 1917, que muito influenciaria a Semana de Arte Moderna, Monteiro Lobato escreveu, em artigo intitulado Paranóia ou Mistificação:

Há duas espécies de artistas. Uma composta dos que vêem as coisas e em conseqüência fazem arte pura, guardados os eternos ritmos da vida, e adotados, para a concretização das emoções estéticas, os processos clássicos dos grandes mestres. (...) A outra espécie é formada dos que vêem anormalmente a natureza e a interpretam à luz das teorias efêmeras, sob a sugestão estrábica das escolas rebeldes, surgidas cá e lá como furúnculos da cultura excessiva. (...). Estas considerações são provocadas pela exposição da sra. Malfatti, onde se notam acentuadíssimas tendências para uma atitude estética forçada no sentido das extravagâncias de Picasso & cia.
O Diário de São Paulo, dez./1917.

Em qual das obras abaixo identifica-se o estilo de Anita Malfatti criticado por Monteiro Lobato no artigo?



3.(UFRGS/2012 - história) Observe a figura abaixo:


A Semana de Arte Moderna, realizada em São Paulo em 1922, representou um marco na cultura brasileira. Tarsila do Amaral trouxe a público, em 1928, a obra o Abaporu, que passou a ser representativa do Manifesto Antropofágico.

Esse manifesto:

(A)defendia a migração de europeus para diminuir a importância dos brasileiros.
(B)propunha a "deglutição" da cultura europeia remodelada e devidamente enraizada à terra brasileira, sintetizada na conhecida frase "Tupi or nor tupi, that's the question".
(C)exalava a cultura europeia e o transplante cultural e artístico do Velho para o Novo Mundo.
(D)valorizava a presença da cultura estrangeira no Brasil e também a manutenção de padrões arcaicos.
(E)justificava a mentalidade subserviente e o sentimento de inferioridade do brasileiro em relação aos europeus.



4.(UFRGS/2003 - história) Observe o quadro “Abaporu”, de Tarsila do Amaral (1928).

Esse quadro motivou o surgimento de uma importante corrente do Modernismo brasileiro, denominada

(A) Verde-Amarelismo.
(B) Poesia Pau-Brasil.
(C) Antropofagia.
(D) Concretismo.
(E) Futurismo.



5.(ENEM/2003)
(Tarsila do Amaral, Operários.) e (Nádia Gotlib. Tarsila do Amaral, a modernista.)

O texto aponta no quadro de Tarsila do Amaral um tema que também se encontra nos versos transcritos em:

(A) “Pensem nas meninas
Cegas inexatas
Pensem nas mulheres
Rotas alteradas.”
(Vinícius de Moraes)

(B) “Somos muitos severinos
iguais em tudo e na sina:
a de abrandar estas pedras
suando-se muito em cima.”
(João Cabral de Melo Neto)

(C) “O funcionário público
não cabe no poema
com seu salário de fome
sua vida fechada em arquivos.”
(Ferreira Gullar)

(D) “Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os
sonhos do mundo.”
(Fernando Pessoa)

(E) “Os inocentes do Leblon
Não viram o navio entrar (...)
Os inocentes, definitivamente inocentes tudo ignoravam,
mas a areia é quente, e há um óleo suave
que eles passam pelas costas, e aquecem.”
(Carlos Drummond de Andrade)



6.(ENEM/2004) Cândido Portinari (1903-1962), em seu livro Retalhos de Minha Vida de Infância, descreve os pés dos trabalhadores.

Pés disformes. Pés que podem contar uma história. Confundiam-se com as pedras e os espinhos. Pés semelhantes aos mapas: com montes e vales, vincos como rios. (...) Pés sofridos com muitos e muitos quilômetros de marcha. Pés que só os santos têm. Sobre a terra, difícil era distingui-los. Agarrados ao solo, eram como alicerces, muitas vezes suportavam apenas um corpo franzino e doente.
(Cândido Portinari, Retrospectiva, Catálogo MASP)

As fantasias sobre o Novo Mundo, a diversidade da natureza e do homem americano e a crítica social foram temas que inspiraram muitos artistas ao longo de nossa História. Dentre estas imagens, a que melhor caracteriza a crítica social contida no texto de Portinari é




7.(ENEM/2011)

Utilizadas desde a Antiguidade, as colunas, elementos verticais de sustentação, foram sofrendo modificações e incorporando novos materiais com ampliação de possibilidades. Ainda que as clássicas colunas gregas sejam retomadas, notáveis inovações são percebidas, por exemplo, nas obras de Oscar Niemeyer, arquiteto brasileiro nascido no Rio de Janeiro em 1907. No desenho de Niemeyer, das colunas do Palácio da Alvorada, observa-se

a) a presença de um capitel muito simples, reforçando a sustentação.
b) o traçado simples de amplas linhas curvas opostas, resultando em formas marcantes.
c) a disposição simétrica das curvas, conferindo saliência e distorção à base.
d) a oposição de curvas em concreto, configurando certo peso e rebuscamento.
e) o excesso de linhas curvas, levando a um exagero na ornamentação.



8.(ENEM/2005) Cândido Portinari (1903-1962), um dos mais importantes artistas brasileiros do século XX, tratou de diferentes aspectos da nossa realidade em seus quadros.

Sobre a temática dos “Retirantes”, Portinari também escreveu o seguinte poema:

(....)
Os retirantes vêm vindo com trouxas e embrulhos
Vêm das terras secas e escuras; pedregulhos
Doloridos como fagulhas de carvão aceso
Corpos disformes, uns panos sujos,
Rasgados e sem cor, dependurados
Homens de enorme ventre bojudo
Mulheres com trouxas caídas para o lado
Pançudas, carregando ao colo um garoto
Choramingando, remelento
(....)
(Cândido Portinari. Poemas. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1964.)

Das quatro obras reproduzidas, assinale aquelas que abordam a problemática que é tema do poema.

(A) 1 e 2 (B) 1 e 3 (C) 2 e 3 (D) 3 e 4 (E) 2 e 4







Gabarito: 1B - 2E - 3B - 4B - 5B - 6E - 7B - 8C

domingo, 19 de agosto de 2012

Surrealismo

1.(ENEM/2005) Os transgênicos vêm ocupando parte da imprensa com opiniões ora favoráveis ora desfavoráveis. Um organismo ao receber material genético de outra espécie, ou modificado da mesma espécie, passa a apresentar novas características. Assim, por exemplo, já temos bactérias fabricando hormônios humanos, algodão colorido e cabras que produzem fatores de coagulação sangüínea humana. O belga René Magritte (1896 – 1967), um dos pintores surrealistas mais importantes, deixou obras enigmáticas. Caso você fosse escolher uma ilustração para um artigo sobre os transgênicos, qual das obras de Magritte, abaixo, estaria mais de acordo com esse tema tão polêmico?





Gabarito: B

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

CUBISMO


1.(ENEM/2011)

O pintor espanhol Pablo Picasso (1881-1973), um dos mais valorizados no mundo artístico, tanto em termos financeiros quanto históricos, criou a obra Guernica em protesto ao ataque aéreo à pequena cidade basca de mesmo nome. A obra, feita para integrar o Salão Internacional de Artes Plásticas de Paris, percorreu toda a Europa, chegando aos EUA e instalando-se no MoMA, onde sairia apenas em 1981. Essa obra cubista apresenta elementos plásticos identificados pelo

a) painel ideográfico, monocomático, que enfoca várias dimensões de um evento, renunciando à realidade, colocando-se em plano frontal ao espectador.
b) horror da guerra de forma fotográfica, com o uso da perspectiva clássica, envolvendo o espectador nesse exemplo brutal de crueldade do ser humano.
c) uso das formas geométricas no mesmo plano, sem emoção e expressão, despreocupado com o volume, a perspectiva e a sensação escultórica.
d) esfacelamento dos objetos abordados na mesma narrativa, minimizando a dor humana a serviço da objetividade, observada pelo uso do claro-escuro.
e) uso de vários ícones que representam personagens fragmentados bidimensionalmente, de forma fotográfica livre de sentimentalismo.



2.(ENEM/2002) O autor da tira utilizou os princípios de composição de um conhecido movimento artístico para representar a necessidade de um mesmo observador aprender a considerar, simultaneamente, diferentes pontos de vista.

Das obras reproduzidas, todas de autoria do pintor espanhol Pablo Picasso, aquela em cuja composição foi adotado um procedimento semelhante é:




3. (ENEM/2002) A leitura do poema Descrição da guerra em Guernica traz à lembrança o famoso quadro de Picasso.

Entra pela janela
o anjo camponês;
com a terceira luz na mão;
minucioso, habituado
aos interiores de cereal,
aos utensílios que dormem na fuligem;
os seus olhos rurais
não compreendem bem os símbolos
desta colheita: hélices,
motores furiosos;
e estende mais o braço; planta
no ar, como uma árvore
a chama do candeeiro.
(...)
Carlos de Oliveira in ANDRADE, Eugénio. Antologia Pessoal da Poesia Portuguesa. Porto: Campo das Letras, 1999.

Uma análise cuidadosa do quadro permite que se identifiquem as cenas referidas nos trechos do poema.

Podem ser relacionadas ao texto lido as partes:
(A) a1, a2, a3
(B) f1, e1, d1
(C) e1, d1, c1
(D) c1, c2, c3
(E) e1, e2, e3



GABARITO: 1A - 2E - 3C

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

OP


1.(ENEM/2007) Representar objetos tridimensionais em uma folha de papel nem sempre é tarefa fácil. O artista holandês Escher (1898-1972) explorou essa dificuldade criando várias figuras planas impossíveis de serem construídas como objetos tridimensionais, a exemplo da litografia Belvedere, reproduzida ao lado.


Considere que um marceneiro tenha encontrado algumas figuras supostamente desenhadas por Escher e deseje construir uma delas com ripas rígidas de madeira que tenham o mesmo tamanho. Qual dos desenhos a seguir ele poderia reproduzir em um modelo tridimensional real?




Gabarito: E

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Impressionista e Pós-Impressionista



1. (UFSM-PEIES/2011 – português) Para responder à questão, observe atentamente a imagem e considere também os dados que a seguem.
A Noite Estrelada / Vincent van Gogh (1889) / Óleo sobre tela, 73,7 X 92,1 cm / Museu de Arte Moderna de Nova Iorque - EUA - Gênios da Arte. Van Gogh. São Paulo: Girassol, 2007.

Analise as afirmativas feitas a partir da obra de Van Gogh. Em qual dessas afirmativas a oração adjetiva expressa um comentário INCOERENTE?

a) A Noite Estrelada integra o acervo do Museu de Arte Moderna de Nova Iorque (EUA), onde os frequentadores podem apreciar a obra de Van Gogh.
b) O azul, empregado para representar a noite, contrasta com o amarelo da lua e das estrelas, criando um efeito interessante, o qual ratifica o título da obra.
c) Na obra do pintor holandês, na qual se destacam os astros celestes, observa-se uma distribuição assimétrica do espaço ocupado pelo céu e pela terra.
d) O cipreste, que é o elemento temático central da tela, aparece representado em primeiro plano, à esquerda, agigantando-se em direção ao céu.
e) Na tela, o céu domina o espaço urbano, espaço esse que está representado predominantemente no canto inferior direito.


2. (ENEM/2000) As histórias em quadrinhos, por vezes, utilizam animais como personagens e a eles atribuem comportamento humano. O gato Garfield é exemplo desse fato.

Van Gogh, pintor holandês nascido em 1853, é um dos principais nomes da pintura mundial. É dele o quadro abaixo.
VAN GOGH - Auto-retrato de orelha cortada

 Fonte: Caderno Vida e Arte, Jornal do Povo, Fortaleza

O 3º quadrinho sugere que Garfield:
(A) desconhece tudo sobre arte, por isso faz a sugestão.
(B) acredita que todo pintor deve fazer algo diferente.
(C) defende que para ser pintor a pessoa tem de sofrer.
(D) conhece a história de um pintor famoso e faz uso da ironia.
(E) acredita que seu dono tenha tendência artística e, por isso, faz a sugestão.




3. (UFSM-PEIES/2011 – história) As duas imagens são representativas de um dos ícones de uma época. A pintura impressionista de Monet, ao dar ênfase na luz e no movimento, inventa a plasticidade da locomotiva envolta na fumaça do progresso vencendo as brumas do caminho rumo à conquista da cidade. Na imagem da locomotiva da estrada de ferro Madeira-Mamoré, a natureza da floresta recobre o símbolo do progresso que invadiu a região amazônica.
Gare ST. - Lazare - Claude Monet http://static.infoescola.com/wp-content/uploads/2010/08/madeira-mamore2.jpg
http:/upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/f/fb/Claude_Monet_004.jpg

Assinale verdadeira (V) ou falsa (F) em cada uma das alternativas a respeito das características dos contextos históricos a que remetem essas duas imagens.

( ) Crença na vitória da razão científica sobre o obscurantismo, com o desaparecimento das nuvens da escuridão para dar lugar ao predomínio da crença na luz do progresso humano simbolizado pela locomotiva e sua fumaça entrando na cidade iluminada pela luz elétrica.
( ) Desenvolvimento de novos inventos e inovações tecnológicas, como a locomotiva, a luz elétrica, o telégrafo, a pilha e o navio a vapor, que contribuíram para consolidar o poder da burguesia industrial e reforçar a dominação imperialista das potências industriais europeias sobre os mundos americano, africano e asiático.
( ) Expansão e interiorização das ferrovias na América, África e Ásia, para integrar os mercados produtores aos consumidores, transportar as matérias-primas e os alimentos a fim de atender às demandas dos mercados, de acordo com as necessidades e os interesses das potências imperialistas.
( ) Emergência de novos centros econômicos no interior da Amazônia voltados para a extração da borracha no território do Acre recém-incorporado ao Brasil, reforçando o dinamismo e a euforia criados pelo aumento da demanda extrativista da região Norte, efêmera concorrente para a economia cafeeira do Sudeste.

A sequência correta é

a) V - F - V - F.
b) F - F - F - V.
c) V - V - V - V.
d) F - F - V - F.
e) V - V - F - V.


4. (ENEM/2009)

Em busca de maior naturalismo em suas obras e fundamentando-se em novo conceito estético, Monet, Degas, Renoir e outros artistas passaram a explorar novas formas de composição artística, que resultaram no estilo denominado Impressionismo. Observadores atentos da natureza, esses artistas passaram a

a) retratar, em suas obras, as cores que idealizavam de acordo com o reflexo da luz solar nos objetos.
b) usar mais a cor preta, fazendo contornos nítidos, que melhor definiam as imagens e as cores do objeto representado.
c) retratar paisagens em diferentes horas do dia, recriando, em suas telas, as imagens por eles idealizadas.
d) usar pinceladas rápidas de cores puras e dissociadas diretamente na tela, sem misturá-las antes na paleta.
e) usar as sombras em tons de cinza e preto e com efeitos esfumaçados, tal como eram realizadas no Renascimento.




Gabarito: 1D, 2D, 3C, 4D

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Neoclassicismo


(UFSM/2009 extraordinário - história) O Iluminismo apostava no uso da razão para a construção de uma nova ordem sociopolítica e, dessa maneira, recuperou os valores da cultura racionalista greco-romana. No campo das artes, esse procedimento resultou no neoclassicismo, que teve em Jacques-Louis David (1748-1825) um dos seus principais expoentes. Em O juramento dos Horácios (1785), David inspirou-se nos lendários irmãos Horácios, os três campeões de Roma que juraram lutar até a morte contra os Curiácios, os campeões da cidade de Alba, inimiga dos romanos.

http://www.fflch.usp.br/dh/heros/antigosmodernos/seculoxix/marx/18brumario HoraciosJuramentoDavidCgfa.jpg

Assim, David atualizou os valores do mundo romano,

a) condenando a participação dos simples cidadãos na cena política e exaltando a aristocracia como principal pilar do Estado.
b) focando os simples cidadãos da sociedade romana como figuras centrais na defesa do Estado e motivando o povo francês a se engajar nas atividades cívicas.
c) reproduzindo o luxo das cortes do mundo antigo e enaltecendo o esteticismo da arte cortesã como elemento pedagógico para a formação do homem cívico.
d) criticando o patriotismo dos cidadãos-soldados da República romana, capazes de dar a vida para a defesa do Estado em detrimento dos sentimentos das mulheres de suas famílias.
e) enaltecendo um novo pacto social, alicerçado na religião revelada e não na adesão ao Estado como instituição laica central na ordem sociopolítica racional.



Gabarito: B